Chamada Temática Pilotos IoT

INOVAÇÃO TECNOLÓGICA PARA INDÚSTRIAS DE QUALQUER PORTE

Projetos com até 36 meses de duração.
Valor mínimo do Plano de Inovação: R$ 1 milhão.

Objetivos da Chamada Temática:

  • Empresas ou consórcio de empresas interessadas em explorar as tecnologias criadas/testadas no testbed;
  • Acelerar a difusão de tecnologias relacionadas à Indústria 4.0 em PMEs;
  • Reduzir os riscos e custos de implantação e de novas tecnologias no ambiente fabril;
  • Evitar interromper a linha de produção nas empresas;
  • Reproduzir as condições operacionais de forma otimizada.

Quem pode participar?

Empresas industriais de qualquer porte ou startups de base tecnológica, com CNPJ ativo.

Requisitos para elegibilidade das empresas industriais:

  • Possuir CNAE primário industrial, segundo a Classificação Nacional de Atividades Econômicas (CNAE) de acordo com a lista de CNAEs disponibilizada no site do edital.
  • Caso o CNAE primário não seja industrial, a EP deve ser contribuinte do SENAI. Neste caso, os comprovantes de pagamento da contribuição compulsória ao SENAI referentes aos últimos três meses anteriores ao resultado da Chamada, devem ser anexados ao plano de projeto

Requisitos obrigatórios do Plano de Inovação:

  • Valor mínimo do Plano de Inovação: R$ 1 milhão;
  • O apoio conjunto BNDES / SENAI-DN / EMBRAPII poderá atingir até 50% do investimento total. O uso deste recurso seguirá critérios próprios de cada uma das instituições;
  • O restante dos recursos deverá ser aportado pela empresa e/ou provir do ISI/SENAI-DR, a título de contrapartida econômica;
  • Podem ser utilizados instrumentos de crédito do BNDES nos recursos de contrapartida;
  • Os itens apoiáveis respeitarão as regras de cada instituição parceira;
  • O prazo de execução dos Planos de Inovação: até 36 meses.

Consulte o regulamento ou entre em contato com o Instituto Senai de Inovação em Biossintéticos do SENAI CETIQT:

Ricardo Cecci
rrcecci@cetiqt.senai.br
+55 21 3812 5809

Livro A 4ª revolução industrial do setor têxtil e de confecção

O livro “A quarta revolução industrial do setor têxtil e de confecção: A visão de futuro para 2030” é fruto de pesquisas desenvolvidas pelo SENAI CETIQT, em conjunto com a ABIT e com a Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI).

Tem como objetivo revisar as orientações estratégicas formuladas em 2008 no Estudo Prospectivo Setorial Têxtil e de Confecção, publicado pela ABDI. Um comitê de notáveis da indústria, governo, academia, associações de classe e sindicatos contribuiu efetivamente para os resultados que são apresentados e desenvolvidos neste trabalho.

Em um futuro próximo, a indústria têxtil e de confecção deve intensificar a aplicação da ciência e da tecnologia em todas as atividades de cadeia de valor. A expectativa é que em menos de 20 anos a Indústria 4.0 influenciará o surgimento de uma nova estrutura em níveis locais e regionais.

Faça download do livro: A 4ª Revolução Industrial

Revista Cultura Brasileira

A revista digital Jeito é uma publicação originária da disciplina Cultura Brasileira. O objetivo é compreender o conceito de cultura em suas mais diversas potencialidades dentro de fatos teóricos, artísticos e sociais na história e no território brasileiro, para proporcionar uma leitura mais apurada das tendências internacionais e atemporais, sobretudo no que diz respeito à Moda. Faça download das edições:

Edição nº 1 – Junho/2017

Edição n° 2 – Novembro/2017

Informe jurídico: doação

O instituto jurídico da doação usualmente é celebrado na forma de um contrato gratuito valendo tanto para bens móveis como bens imóveis. Quando uma pessoa resolve por sua liberalidade doar (dispor) de seu patrimônio em benefício de outra, tendo por tanto a intenção de doar (animus donandi), estaremos diante da doação.

Fique atento, pois existem diferenças entre doação e alienação gratuita (cessão de direitos). Já ouviu falar em doação com reserva de usufruto? Qual o tratamento do instituto jurídico da doação em nosso regimento interno?

Neste informe produzido pela Gerência Jurídica do SENAI CETIQT estes temas estão abordados de forma didática e esclarecedora.

Download

SizeBR : O Estudo Antropométrico Brasileiro

No ano de 2005, o SENAI CETIQT começa a desenhar um projeto fundamental para decifrar, entender e propor soluções para um dos maiores “enigmas” da Cadeia Produtiva Têxtil e de Confecção e, consequentemente, do varejo de Moda: o mapeamento dos corpos da população brasileira. Iniciava-se então a Pesquisa Antropométrica.

Nosso país possui uma diversidade populacional muito rica.  Não existe um padrão de corpos que seja válido para todo o território nacional. Pelo mesmo motivo, não havia uma metodologia pré-existente que fosse adequada aos objetivos do projeto.

Ao longo de dez anos, a equipe do SENAI CETIQT deparou-se com os desafios característicos de trabalhos inovadores. Nos primeiros passos, debruçou-se intensamente na busca de referenciais técnicos e acadêmicos, tanto nacionais, quanto internacionais. Esse primeiro momento fundamentou a necessidade da aquisição de um equipamento de alta tecnologia que pudesse escanear o corpo humano, fornecendo assim dados precisos para serem analisados. Desta forma, o passo seguinte foi adquirir o 3D Body Scanner da TC², o primeiro no Brasil a utilizar a tecnologia de captação de imagem por luz branca.

As medições piloto foram primordiais para criar instrumentos estatísticos e métodos próprios de análise de dados. Em 2012, começa então o início à grande fase da pesquisa de campo que percorreria todo o Brasil, mensurando em torno de 10 mil pessoas, entre 18 e 65 anos, nas cinco regiões do país, percorrendo 16 estados e 27 cidades.

A definição da meta de 10 mil corpos e do escopo do estudo foram obtidos por meio de recorte da população brasileira, das cinco regiões do país. Para potencializar seus efeitos junto à indústria, foi criado um filtro que abrangesse a faixa etária onde se encontra a maior fatia de consumidores brasileiros. Baseado em dados do IBGE, o filtro situou o target da pesquisa na faixa etária que varia entre 18 e 65 anos. Para a realização das medições foi necessário organizar um intenso e estruturado programa de treinamento para a equipe, e montar uma delicada logística para que o 3D Body Scanner pudesse viajar pelo país.

Ao final do ano de 2014, terminada a pesquisa de campo e iniciou-se o trabalho de tratamento dos 10 mil dados coletados, que se prolongou por todo o ano de 2015.

Ainda com o propósito de permitir recortes para a customização dos resultados, paralelamente às medições, foi realizada uma pesquisa sócio econômica para compreensão do comportamento e hábitos de consumo dos pesquisados. Desta maneira, a utilização desse conjunto de variáveis passa a constituir uma poderosa ferramenta para o aumento da competitividade e da produtividade da indústria brasileira de vestuário.

Autor : Sergio F. Bastos; Flávio Sabrá ; Rynaldo Anversa Rosa; Luiz Felipe F. Brito.
Local da publicação : 4th International Conference and Exhibition on 3D Body Scanning Technologies – 19 a 20 novembro de 2013, Long Beach/CA

Download: SizeBR em português

Download: SizeBR em inglês